Seca no Nordeste causa migração 'fora de hora' ao interior paulista

A seca histórica no Nordeste, a pior dos últimos 50 anos, tem empurrado Pereiras e outros “fugitivos” para diversas cidades paulistas, que estão em plena safra da cana-de-açúcar, e até para outros Estados.

“A seca está esparramando muita gente pelo Brasil afora”, diz o padre Antonio Garcia Peres, coordenador nacional de temporários rurais da Pastoral do Migrante, ligado à Igreja Católica.

Atualmente, cerca de 60 mil nordestinos migram a cada ano para o norte e nordeste de São Paulo, segundo a pastoral. A maioria trabalha com a cana, mas a construção civil já atrai 20% dessa mão de obra.

Na região de Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo), o maior volume chega nos primeiros três meses do ano para garantir o emprego nas usinas de cana, cuja safra começa em abril. E a volta à terra natal só ocorre no fim do ano.

Neste ano, porém, segundo Peres, há migrantes “fora de hora”, que chegaram em maio, junho, julho e até agosto. Boa parte, como o piauiense Pereira, foi forçada pela seca.

Da Folha de São Paulo

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima