TJ mantém condenação de ex-servidor do Ministério Público que atirou contra promotores

Foto: José Aldenir / Agora RN
Foto: José Aldenir / Agora RN

Na sessão ordinária desta terça-feira (2), a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do RN deu provimento parcial a Apelação Criminal movida pelo Ministério Público Estadual contra Guilherme Wanderley Lopes da Silva, decretando, na esfera penal, a perda do cargo público exercido pelo ex-servidor do MPRN, com efeito a partir do trânsito em julgado da condenação. Os desembargadores também rejeitaram o Apelo da defesa do réu e mantiveram os demais termos da sentença, determinando ainda a execução provisória da pena.

Em dezembro de 2018, Guilherme Wanderley foi condenado a sete anos, três meses e 15 dias de prisão, em regime semiaberto, pela tripla tentativa de homicídio contra o então procurador geral de Justiça, Rinaldo Reis, e os promotores de Justiça Jovino Pereira e Wendell Beetoven, no dia 24 de março de 2017, na sede do Ministério Público.

Na dosimetria da pena, o juiz Geomar Brito considerou que o réu, à época do atentado, era parcialmente incapaz de entender a ilicitude da ação, o que reduziu a pena final. Segundo a sentença, a pena deverá ser cumprida em local a ser designado pelo juízo das execuções penais.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Rolar para cima