RN registra menos de 50 casos de Covid por dia: “Já tivemos 4 mil”

e37f4308-0309-40c6-a02e-0121ed8f51ed

O Rio Grande do Norte apresenta um cenário de pandemia controlada efetivamente. O posicionamento é do professor e pesquisador Ricardo Valentim, coordenador do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da UFRN e integrante do comitê científico estadual de enfrentamento à pandemia.

Recentemente, o RN teve um período de 10 dias sem registrar nenhuma nova morte por Covid-19, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). O estado também registra a menor taxa de ocupação de leitos, com menos de 10% das UTIs com casos confirmados ou suspeitos de Covid-19. Atualmente a rede dispõe de 79 leitos de UTI e 99 leitos clínicos.

“O cenário da pandemia no RN tem apresentado os melhores indicadores. Estamos com menos de 50 casos por dia, isso nunca aconteceu desde o início da pandemia. Já chegamos a ter mais de 4 mil casos em um único dia, então estamos agora em uma situação que demonstra controle efetivo da pandemia no estado”, pontuou Valentim.

O que reforça essa situação de controle é justamente a questão assistencial, conforme o pesquisador. “O estado do RN chegou a ter 430 pacientes internados em leitos de UTI, hoje temos 6 pacientes internados”, frisou. Por conta da baixa demanda, o RN tem praticamente 6 vezes menos leitos do que possuía no pico da segunda onda da Covid.

Dado o contexto assistencial, o estado está em uma situação de controle muito confortável. “O RN está entre os estados que tiveram maior efetividade no combate à Covid-19. Em termos de financiamento, fomos um dos estados que menos recebeu financiamento. Todavia, é um dos estados que teve o menor número de óbitos por 100 mil habitantes. Isso mostra que a condução da política pública do Estado, junto aos Municípios, teve um bom desempenho”, disse.

Para Valentim, a queda da pandemia tem relação com as ações que foram tomadas ao longo dos últimos dois anos, como as ações restritivas impostas pela gestão pública, e com o processo de imunização. O Rio Grande do Norte alcançou nesta segunda-feira 18 a marca de 7 milhões de vacinas contra a Covid-19 aplicadas na população.

O feito é fruto da parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), que coordena o processo de distribuição das doses e as estratégias da campanha, e os municípios potiguares, que operam o processo na ponta, com a responsabilidade de aplicar os imunizantes.

Até o momento, na totalidade do público-alvo da campanha de imunização contra a Covid-19 já foram vacinadas com ao menos uma dose 93% das pessoas, tendo 83% recebido as duas e 46% com a dose de reforço. Entre os adultos, que são os que podem tomar as três doses, esses patamares chegam respectivamente a 92%, 87% e 55%.

Já entre os adolescentes, a cobertura encontra-se em 88% para a 1ª dose e 70% para os totalmente vacinados. Para as crianças de 5 a 11 anos, os percentuais estão em 59% na dose inicial e 25% para a 2ª dose. Graças aos indicadores positivos e ao avanço da vacinação, também foi desobrigado o uso de máscaras de proteção em ambientes públicos do RN no dia 16 de março, e em ambientes fechados no último dia 6.

Queiroga anuncia fim da emergência sanitária imposta pela Covid

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, declarou neste domingo 17, em pronunciamento oficial, o fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (Espin), instituída em fevereiro de 2020 devido à pandemia da Covid-19. Na prática, a Espin possibilitou ao governo federal firmar contratos emergenciais para compra de insumos médicos e imunizantes contra o coronavírus, entre outras medidas.

“Graças à melhora do cenário epidemiológico, à ampla cobertura vacinal da população e à capacidade de assistência do SUS, temos hoje condições de anunciar o fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional, a Espin”, ressaltou o ministro.

A medida passa a valer a partir da publicação de uma portaria, o que, segundo o ministro, deve ocorrer nos próximos dias. Durante o pronunciamento, o ministro fez um balanço das ações tomadas pelo ministério durante a pandemia, como a compra de 476 milhões de doses de vacina. Queiroga também expressou solidariedade às famílias das vítimas da Covid e àqueles que sofrem com sequelas da doença.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima