A Fundação da Rádio

O nascimento da Rádio Rural de Caicó em maio de 1963 é marcado pelo comprometimento com a educação e a evangelização como meios de trazer progresso ao homem e a mulher do campo. A fim também de politizar e dar meios de conscientização através da educação, a Emissora idealizada e fundada por Dom Manuel Tavares traçou metas destinadas a alegrar a vida do sertanejo de modo que pudessem entrar no cotidiano dessas pessoas e a transformasse para melhor. Em palavras de Dom Manuel Tavares:

“Para mim, foi a maior coisa da minha vida que eu já fiz, foi a fundação da Rádio Rural. […] Não era somente religião, era também a educação do povo. Eu deixo a mensagem que ela continue, de tal modo que eu desejo que seja a fonte de educação religiosa e civil do povo do Seridó, porque o povo precisa de uma educação a toda prova.” (ARAÚJO, Dom Manuel, 2003).

Nesse sentido, durante as primeiras décadas, a Rádio não poupou esforços em direcionar suas programações para a educação de pessoas analfabetas e que tinham o mínimo de condições de sobrevivência. Por isso que o primeiro lugar contemplado foi a zona rural, mas em pouco tempo o esteio educativo da Emissora se estendeu também para a cidade.

Não há dúvidas que a Rádio Rural de Caicó representa um grande marco na história não só da cidade, mas também de todo o Seridó. Ela possibilitou o revigoramento da comunicação e informação e, no tocante ao seu surgimento, configurou uma educação de base que revolucionou a vida do sertanejo da região do Seridó. Durante muito tempo seus programas educativos e informativos atingiram várias cidades circunvizinhas, entre elas: Jardim de Piranhas, Jucurutu, Cruzeta, Acari e Serra Negra.

A memória do homem do campo foi preenchida pelos diversos programas que circularam e circulam durante todo o dia na Rádio. Durante os anos iniciais com o auxílio do Movimento de Educação de Base eles puderam ter noções de educação para a alimentação, agricultura, da sua saúde e da sua família. Também foi possível desempenhar a memória coletiva daqueles que estavam aprendendo pela tecnologia do rádio, porque muitos grupos se formavam para debater e dialogar sobre o que havia sido passado nas programações com o auxílio de um instrutor/monitor. Então, a dinamicidade elegida pela Rádio foi um importante agente na transformação das populações rurais analfabetas, especialmente durante seus anos iniciais de atuação do MEB.